1476179946 1476180752245263800 720x380 - Será que meu filho será asmático?

Será que meu filho será asmático?

Crianças abaixo de 3 anos com 4 ou mais episódios de sibilância significativos (com diagnóstico médico de sibilância) ao longo de um ano, são mais propensas a ter asma ao longo da vida após os 5 anos de idade:

Critérios maiores:

  • Um dos pais ( ou ambos) com asma
  • Diagnóstico médico de eczema (dermatite atópica)
  • Teste positivo para alérgenos (determinado por médico através de testes cutâneos positivos ou exames de sangue para alérgenos, como pólen, gramíneas, animais ou ácaros)

ou

Critérios menores:

  • Alergia alimentar
  • Mais de 4% de eosinófilos no sangue (pode estar presente em doenças alérgica, mas também em outros casos, como parasitoses)
  • Presença de “crise de sibilância” na ausência de episódio de resfriado ou infecção de vias aéreas superiores

O Índice Preditivo para Asma (IPA) é considerado positivo se há pelo menos 1 critério maior ou 2 critérios menores.

Esse Índice foi desenvolvido após seguimento de aproximendamente 1.000 crianças até aos 13 anos de idade. Sabe-se que se o Indice é positivo aos 2 anos de idade, significa uma chance de 80% da criança ter diagnóstico definitivo de asma aos 7 anos.

Ao usar esse índice, médicos e  pais podem observar mais de perto os sintomas de asma à medida que a criança cresce e, se necessário, iniciar o tratamento correto o quanto antes. O tratamento correto e no tempo certo faz toda a diferença para o controle da doença.

  • Mas e a bronquiolite? O que tem a ver com isso? Meu filho teve bronquiolite será que será asmático a vida toda?

Ainda não está claro se a bronquiolite no início da vida leva a uma alteração estrutural no pulmão, que predispõe a criança a ter sibilância recorrente (e ter asma no futuro), ou se esses bebês já apresentam uma alteração genética preexistente relacionada a sua resposta imunológica que predispõe a bronquiolite grave e a sibilância recorrente. Ou seja, não se sabe se seu filho poderá ou não ter asma baseado somente no episodio de bronquiolite. O ideal é acompanha-lo com um pneumologista pediátrico que ira avaliar caso a caso e investigar a possibilidade do seu filho desenvolver ou não asma no futuro.

Comentários

Relacionados

Posted in Alergia, Fisioterapia Respiratória, Pneumologia.