Fonoaudiologia 720x380 - Fonoaudiologia - Duvidas Frequentes

Fonoaudiologia – Duvidas Frequentes

Por quê o ortodontista/ortopedista funcional dos maxilares encaminhou para fonoaudióloga?

É uma prática comum que pacientes que estejam usando aparelho ortodôntico (em qualquer uma das etapas do tratamento) sejam encaminhados para a realização de diagnóstico fonoaudiológico, objetivando a verificação de alguma alteração de forças musculares (hipo ou hipertonia) e funções que estejam interferindo no trabalho ortodôntico.

Caso haja alguma alteração mio funcional (de função muscular) e não seja tratada, é bastante comum que a médio/longo prazo, ocorra à recidiva do quadro ortodôntico, justamente por ter sido tratado apenas o arcabouço ósseo sem adequação muscular para o novo perfil.

A fonoaudiologia trata problemas de fala em adultos?

A fonoaudiologia atende todas as idades.

A partir de qual idade uma questão de fala em crianças é considerada um problema? Quando devo levar meu filho à fonoaudióloga?

Sempre que houver suspeita de alteração deve-se procurar uma fonoaudióloga para que seja realizado diagnóstico e verificar, então, se é ou não o caso de tratamento (isso serve para todas as idades).

Portanto, primeiramente se diagnostica, para futuramente, numa próxima etapa, submeter o paciente a tratamento.

Como ajudar uma criança a falar bem?

Algumas atividades simples e aparentemente sem grande importância são essenciais no desenvolvimento oral do bebê. Expressões faciais como mandar beijinho para as crianças ou mostrar a língua funcionam como bons exercícios.

A criança deve ser estimulada logo após o nascimento. Faça a seguinte atividade: converse de frente para ela e faça gestos e caretas com a boca. É engraçado que o bebê, inconscientemente, tentará reproduzir o gesto. Ao tentar copiar os movimentos labiais, a criança estará indiretamente praticando um excelente exercício de musculatura oral,.

Pai e mãe devem orientar a criança a pronunciar a palavra corretamente, de forma suave, evitando palavras no diminutivo e a imitação da fala errada da criança.  Falando com carinho. A correção da pronuncia não significa reprimir cada erro cometido pela criança. Ao contrário, os pais devem ser carinhosos e explicativos. “Se a criança diz que quer beber ‘acá’ (água), o adultodeve responder: – Você quer água? Vou pegar água pra você”. Com isso, a criança aprende a palavra certa, além de unir figura e palavra.

Audição– Problemas auditivos também influem no desenvolvimento da fala. A criança com algum tipo de inflamação no ouvido, como a otite, por exemplo, costumam apresentar desatenção por não ouvir direito, o que dificulta no processo de aprendizagem das palavras.

 

Meu filho esta gaguejando. O que fazer?

Seu filho tropica para falar uma palavra, gagueja. Os pais, no intuito de ajudar a criança a tirar esse “nó”, geralmente soltam as seguintes frases: “Pare e respire”, “Fale devagar”, “Respire fundo”, “Repita comigo” ou “Pense antes de falar”.

Sabia que essa “ajuda” dos pais pode simplesmente piorar o caso? Pois é. Crianças de até quatro anos podem “gaguejar” sem que isso seja uma alteração na fala.

Quando a criança está no processo de desenvolvimento da fala e linguagem pode acontecer a disfluência fisiológica, isto é, a gagueira que é natural desse período. Acontece normalmente por volta dos três ou quatro anos e pode durar até oito meses, desaparecendo naturalmente. Isto ocorre porque o pensamento é mais rápido que o processo articulatório da fala. A criança muitas vezes ansiosa para contar algo, não consegue encontrar equilíbrio entre a velocidade do pensamento e a fala.

Claro que cada caso é um caso e uma avaliação fonoaudiológica deve ser realizada para verificar se ocorre realmente uma disfluência fisiológica ou patológica, mas algumas orientações são importantes.

 

Dicas

  • Não dizer para a criança falar devagar ou respirar fundo. Isso é um começo para que a criança não se sinta um mal falante e fique tensa na hora de falar.

  • Não termine a frase pela criança. Se a mamãe ou papai já sabem o que a criança quer, para quê que ela vai continuar falando.

  • Escute com muita paciência e sem demonstrar impaciência com a fala do seu filho que apresenta disfluência (gagueira).

  • Faça da hora da comunicação um período de prazer. Cante, conte histórias e brinque com a criança.

  • Valorize o que a criança tem a dizer e não o como ela diz. A criança se sente “fortalecida” quando consegue passar sua ideia, não necessariamente construindo perfeitamente a frase. Ela se sentirá estimulada.


Dra. Eloisa Petrela 150x150 - Fonoaudiologia - Duvidas Frequentes

Dra. Eloisa Petrela

CRF: 7003

Especialidade: Fonoaudiologia

 


 

Comentários
Posted in Fonoaudiologia.